sábado, 2 de janeiro de 2021

Secretaria de Saúde de Toledo-PR anuncia plano de ação em relação à pandemia


 GIRO ICARAÍMA  02/01/2020 

Por Fernando Braga

Na manhã deste sábado (02/01), através de uma live transmitida pelas redes sociais, os novos gestores do Executivo de Toledo, Beto Lunitti e Ademar Dorfschmidt, anunciaram novas medidas de combate à pandemia de Covid-19, acompanhados pela secretária de Saúde, Gabriela Kucharski.

No ato oficial que deu início aos trabalhos de sua gestão, o prefeito Beto afirmou que o momento é delicado e requer ação imediata do governo, ressaltando o alerta de que “saímos da bandeira roxa e estamos na vermelha”, no tocante a classificação baseada nos índices da pandemia no município. Ele também enfatizou que serão tomadas todas as providências para que a vacina seja disponibilizada em Toledo em 2021, sem que haja politização da questão, já que em suas palavras, esse tema “é algo que envolve a vida das pessoas, envolve a economia e é uma questão de governo, que nos faz enfrentar esse desafio de forma técnica, orçamentária e financeira, adotando as medidas necessárias para promover a vacinação.”

O mandatário toledano também se solidarizou com as famílias que perderam seus entes e lembrou que em 31 de dezembro, o ano de 2020 encerrou com 9.822 casos de contágio registrados no município. Em face desta situação, o prefeito disse que implementará o que chamou de “nova fase de política pública contra a pandemia”.

Entre as novas disposições, consta a reestruturação do COE (Centro de Operações Emergenciais), que terá outro formato, e uma capacitação que será oferecida por profissionais de Saúde aos guardas municipais, para que eles promovam visitas de orientação, de forma qualificada, a diversos setores, como o comércio, a indústria, atividades noturnas, prestação de serviços e setor de gastronomia, entre outros.

Tratamento precoce e distribuição de Ivermectina

A secretária municipal de Saúde, a médica Gabriela Kucharski, descreveu uma série de ações que serão adotadas no enfrentamento a pandemia, além da capacitação dos servidores da Guarda Municipal.

De acordo com a pediatra, serão realizadas a cada 14 dias coletivas com a imprensa, a começar em 11 de janeiro. O período de 14 dias foi escolhido por ser o tempo do ciclo do vírus Sars-CoV-2 (novo coronavírus). Seria necessário, portanto, observar esse período para haja efetividade das análises epidemiológicas.

Outra inovação que será introduzida no município será a adoção de profilaxia medicamentosa, que é uma forma de precaução ao coronavírus. Através de assistência farmacêutica, a Secretaria de Saúde promoverá a distribuição do medicamento Ivermectina, que não exige prescrição médica (receita médica). Sendo assim, quem tiver interesse em tomar o medicamento poderá retirá-lo nas farmácias municipais: Farmácia Escola, Farmácia da Vila Pioneiro e Farmácia do Jd. Coopagro. O medicamento só poderá ser retirado se atendidos os seguintes critérios: uma dosagem por CPF, retirada a cada quinze dias e apenas para maiores de 18 anos. A distribuição começará em 11 de janeiro e exige a assinatura de um termo de consentimento informado.

Diferentemente da Ivermectina, os medicamentos utilizados no tratamento precoce necessitam de prescrição médica. Portanto, o uso de hidroxicloroquina e de azitromicina necessitam de receita e também de um entendimento entre o paciente e o médico. A autorização para tratamento a base desses fármacos deve partir do paciente, que assinará um termo de consentimento informado. O tratamento precoce só será oferecido a pacientes sintomáticos, que serão monitorados durante esse período.

Outro anúncio feito neste sábado é da reabertura das unidades sentinelas. Duas unidades de referência passarão a atuar, em conjunto com a base já estruturada no Mini Hospital: uma unidade sentinela atenderá na região do Jd. Panorama e outra na região do Cosmos.

Sobre o COE, Gabriela Kucharski informou que o Centro de Operações Emergenciais será formado por novos membros e salientou que o órgão é consultivo, e não deliberativo. “Não cabe ao COE tomar decisões, e sua função é exclusivamente a de prestar consultoria à gestão municipal e apresentar sugestões para o enfrentamento à pandemia”, disse. No tocante a esse órgão, a secretária esclareceu que é preciso aguardar sua nova composição para que os próximos membros façam uma reavaliação dos critérios adotados para a utilização das cores das bandeiras (amarela, laranja, vermelha e roxa), a chamada matriz de risco.

A responsável pela pasta da Saúde também apresentou seu posicionamento enquanto gestora, defendendo o retorno das aulas no município, desde que seja feito de maneira segura para alunos, professores e funcionários.

Para encerrar, a dra. Gabriela esclareceu que desde dezembro, a equipe que ora inicia a gestão vem estudando a questão da vacinação e conversando com os governos Estadual e Federal. Se preciso, já está em análise a possibilidade de compra das vacinas, comentou a secretária, que também frisou que “Toledo está preparado do ponto de vista estrutural e de recursos humanos para vacinar sua população assim que a vacina estiver disponível.”

“Nós, como [secretaria de] Saúde, estamos organizados. Estamos preparados e contamos com a colaboração da sociedade. Com a nossa organização e a colaboração da sociedade, nós vamos vencer a pandemia. Nós vamos conseguir”, foi a mensagem final deixada pela secretária.