quarta-feira, 26 de agosto de 2020

acusado de estuprar e matar universitária em Bariri é condenado a 40 anos de prisão

Caso Mariana Bazza

    Giro Icaraíma 26/08/2020

Sentença foi dada nesta terça-feira (25), 11 meses após Rodrigo Pereira Alves ser preso e o corpo da jovem ser encontrado em um canavial. Mariana foi morta após receber ajuda de Rodrigo para trocar o pneu do carro.A Justiça condenou a mais de 40 anos de prisão o acusado de estuprar e matar a universitária Mariana Bazza em Bariri (SP). O crime aconteceu em setembro do ano passado, quando a jovem tinha 19 anos, e o julgamento de Rodrigo Pereira Alves, de 37 anos, ocorreu nesta terça-feira (25).A condenação em primeira instância foi confirmada pelo advogado de defesa do réu, Evandro Demétrio. O advogado disse ainda que a decisão não foi publicada pelo Tribunal de Justiça (TJ) e que aguarda essa publicação para entrar com recurso.O G1 entrou em contato com o Tribunal de Justiça de SP e com o Ministério Público, mas os órgãos informaram que o caso segue em segredo de Justiça.Mariana foi estuprada e morta após receber ajuda de Rodrigo para trocar o pneu do carro.Ele foi condenado a 40 anos, 10 meses e 18 dias de prisão, inicialmente em regime fechado, por latrocínio, estupro e ocultação de cadáver, 11 meses após o corpo da jovem ter sido encontrado em um canavial, no dia 25 de setembro de 2019.

Rodrigo foi ouvido pela primeira vez na Justiça em 11 de agosto deste ano,
 na segunda audiência do julgamento. O procedimento foi feito por videoconferência por causa da pandemia do coronavírus. Ele prestou depoimento na penitenciária de Serra Azul, onde está preso. Após essa audiência, o TJ informou que o caso seria encaminhado para sentença.

Assassinato da jovem

em Bariri, no dia 24 de setembro de 2019, e receber ajuda de Rodrigo
 Pereira Alves para trocar o pneu do carro. Ela foi encontrada morta 
um dia depois em uma área de canavial em Ibitinga (SP).
Rodrigo foi preso em Itápolis (SP) e foi denunciado pelo Ministério Público
 por estupro, latrocínio e ocultação de cadáver. A denúncia foi aceita pela Justiça no dia 10 de outubro.De acordo com a denúncia do MP, Rodrigo roubou o carro, a carteira da vítima com documentos pessoais, R$ 110 em dinheiro, o celular dela e uma caixa de som. Ele também foi 
acusado de estupro e ocultação de cadáver.Ainda de acordo com a
de Mariana dentro do carro. O laudo necroscópico do IML de Araraquara apontou que a vítima foi estuprada e morta na chácara onde o condenado
 trabalhava como pintor.
Por G1