segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Caso Tatiane: Suspeito da morte preso injustamente em Formosa do Oeste é solto pela Justiça.

Já se passaram vários dias a morte de Tatiane Laudindo da Silva de 31 anos, continua sendo investigado pela Polícia Civil, através do setor de Homicídios da 15ª SDP de Toledo.

O crime ocorreu dia (12), na Rua Maranhão no centro da cidade de Formosa do Oeste. Na sexta-feira do dia (18), um suspeito que não teve o nome divulgado, até para não atrapalhar nas investigações, foi encaminhado para a 20ª SDP de Toledo.

No sábado dia (19), em entrevista coletiva, a delegada, Drª Fernanda Lima, falou sobre o caso, onde testemunhas, denuncias e até imagens de câmeras de segurança, chegaram a um suspeito de 21 anos.

O Jovem foi preso injustamente, com o fundamento de que testemunhas e imagens de câmera de segurança atestavam que o jovem teria pulado o muro da casa de Tatiane no dia e horário do assassinato, este que é morador da mesma cidade conforme relato acima da Delegada Drª Fernanda Lima, em entrevistas aos meios de comunicações.


O rapaz não teria relação familiar direta com a jovem. Além do suspeito, a delegada informou que de três a quatro pessoas, estão envolvidas com o crime que pode ser, tanto homicídio, quanto feminicídio.


Sobre o criminoso ter invadido a residência e não ter arrombado janelas e portas, a delegada relatou que uma das portas da residência, estava com problema de fechar, sendo que a dias estava dormindo com a porta aberta.

Foi realizado uma reconstituição no local do crime e ouvido além de testemunhas, familiares também. Sobre o ex-companheiro, a polícia também não descarta o envolvimento, sendo que tudo está sendo apurado com cautela.

O rapaz foi solto, através de determinação da justiça, por conta que não há indícios que ele teria participação no crime, principalmente porque, imagens de câmeras de seguranças da residencia do Jovem, comprovam que o jovem estava em sua casa, no dia e na hora do crime.

A Polícia Civil pede para a população, continuar colaborando com as investigações, através do 197, 190 ou 181.